sábado, 2 de dezembro de 2017

GENI, O MINICONTO

                                 

GENI, O MINICONTO
Ao acordar pela manhã, Geni- a que dava para todo mundo para matar a sua fome- recebe da sua cadela Bolinha um beijo e um abano de rabo bem carinhosos. Hoje Geni que salvava os machos pervertidos, buscava em si, os prazeres, negados por suas mulheres puritanas, doente, foi esquecida. Geni e Bolinha vivem a solidão das fêmeas, num quartinho qualquer na periferia dos esquecidos.
Girvany de Morais 02/12/2107



domingo, 19 de novembro de 2017

CORPO PRESENTE


CORPO PRESENTE

Bebam, cantem
e se fartem,
sobre o meu o corpo

estendido no chão.
Deem gargalhadas, 
risos dantescos, 
façam das minha exéquias,
pão e circo para todos.



terça-feira, 14 de novembro de 2017

DIAS INCERTOS

  • DIAS INCERTOS
  • Naquela manhã saiu para o trabalho. Ainda sonolento pelo anterior exaustivo dia de trabalho. A bicicleta deslizava asfalto afora. Em seus pensamentos um pergunta: E agora? E na lerdeza da sua noite mal dormida quase foi abatido por um ônibus... Enfim chega ao trabalho. Veste sua mortalha, assina o ponto, adeus às ilusões.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

JUCKBOX


JUCKBOX
Pediu uma cerveja, prontamente atendida assentou em uma mesa do canto. A maquiagem vagabunda escondia o rosto vincado pelo tempo, cílios sombreados, batom vermelho, perfume adocicado e forte, um convite ao sexo. Sem ser convidado um homem de meia idade, puxou uma cadeira e assentou ao seu lado, não fez objeção. De repente começaram a conversar com mais rispidez, nervosa, deu um garrafada em sua cabeça, ele sacou de um revólver e deu seis tiros, por coincidência na Juckbox, a divina Maria Bethânia, estava cantando cenas de sangue no bar, na Praça Primeiro de Maio

CALVÁRIO

CALVÁRIO
Não bastasse o estupro o qual fora vítima, e que dessa violência resultou uma gravidez. E para o seu tormento descobriu que não podia abortar. E agora, como gestar um filho que fora gerado de uma forma odiosa?



terça-feira, 7 de novembro de 2017

DEGUSTAÇÃO
Entre uma taça de vinho e outra lia Baudelaire. E de tanto degustar os dois, embriagou-se. Viajou mundos psicodélicos.

A UM CERTO AMIGO

Venera tanto a morte que faz dela o seu discurso filosófico. Amante incondicional de música clássica pede quando morrer que encenassem em quatro  atos a sua despedida terrena. Ao dar o último suspiro tocassem a Suíte no 1, Op. 46, durante o velório tocassem árias, ou se houver alguém que as cantassem, melhor seria, e durante o cortejo que tocassem a Cavalgada das Valquírias, e como ato final a Primavera das quatro estações, quando o seu corpo estiver sendo entregue aos vermes.
Girvany 06/10/2107