quarta-feira, 12 de agosto de 2009

CIDADE QUALQUER

Circulo entre ruas
becos e vielas,
e observo a sua arquitetura
desordenada e caótica,
tão caótica e desordenada
como a vida dos seus moradores
que habitam esse caos urbano,
ante o olhar impiedoso
dos indiferentes que trafegam
ruas paralelas
como se ali existisse
um mundo paralelo e invisível.
Circulo entre a rudeza dos arranha-ceus
frias caveiras arquitetônica
que espalhados cidade afora
embaralham meus olhos
exautos e atônitos.
Circulo entre a sua gente apressada,
envolta em suas preocupações,
seus loucos maltrapilhos e falantes,
suas moças que oferecem seus corpos
nas esquinas,
camelôs infalamados anunciando
o seus produtos,
e letreiros luminosos em apelos comerciais,
lembram que a cidade
é uma torre de babel humana
até as últimas consequências.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

ATRZ

Venha que a platéia te espera
para rir com a sua graça
e chorar com o seu drama.
Sei que apenas representa o seu papel,
Não importa,
fazemos de conta que tudo é real
embora seja ilusão,
personagem vira gente de verdade.
Hoje pode ser prostituta,
amanhã burguesa,
suburbana, mendiga
enfim todas as mulheres em um corpo só.
Mas quanta generosidade em assumí-las!
Por isso para sempre seja louvado
o seu ofício.

TARDE QUALQUER

Estou deitado vendo TV
e ouvindo as babaquices
do apresentador gordo,
entrevistando uma loura burra
com ares de celebridade.
Desligo a Tv,
ligo o rádio para ouvir o futebol,
e as asneiras do locuter
tentando fazer do cabeça de bagre
um craque da bola.
Abro a janela e vejo os crédulos
passarem indo à igreja
a expiar os pecados
e acertar as contas com Deus
e depois dormir o sono dos justos.
Volto à Tv do mesmo apresentador
e suas babaquices
que agora solta gargalhadas
do ridículo alheio.




IMITAÇÃO 2

Quando nasci
minha nãe diss:
vai filho ser poeta
na vida.
Cá estou.

terça-feira, 30 de junho de 2009

ESTUPIDEZ

Os homens, esses estúpidos
se matam por coisas fúteis,
E depois exibem os seus punhais
sujos de sangue,
como troféu.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

HOMOFOBIA

Ouvi uns que gritavam nomes feios.
Vi outros armados de pau,
senti o cheiro dos que foram queimados.
Vi os corpos dos que dos que foram enforcados,
e jogados em valas comuns.
Vi serem negados direitos elementares.
Ouvi a maldição dos crédulos,
que entoavam as suas iras nos altares.
Vii os homens que marcharam
pela moral e bons costumes.
Vi os joranais,
vi as TVS,
ouvi os rádios
propagando as suas idéias.
Vi o cerco fechado,
vi o beco sem saída,
e quando percebi que não haveria
escapatória,
ouvi que alguns gritavam:
Chega!
E declararam: de hoje em diante ningúem
será punido
por amar da forma que lhe convier.
E VIVA O AMOR!



MIISTÉRIOS

Nas noites os desejoa são aflorados
sobretudo em noites de lua cheia.
Será que as noites são mágicas?
Quais são os seus mistérios?
Ou não existem mistérioos?
Ou são apaenas arroubos das paixões humanas?
Ou são apenas devaneios dos poetas/

quarta-feira, 24 de junho de 2009

LOUCOS

Ah! essses loucos poetas,
lunáticos,
que vivem anos a fio
a incorporar as dores do mundo,
e acreditam que são suas,
e que podem curá-las
fazendo verrsos,
e quando desscobrem que
são inúuteis os seus versos,
compõem seus epitáfios
com os dizeres:
aqui jazem os loucos
que queriam mudar o mundo,
fazendo versos.
E depois se matam de
maneiras diversas.
fazendo versos

SENTIDOS

Beber sua saliva,
cheirar o seu hálito,
sentir o seu cheiro.
Sentir o seu sexo
latente
e cheio de volúpia,
pronto para a cópula.

IMITAÇÃO 2

Quando nasci minha mãe disse:
vai filho ser poeta na vida.
Cá estou.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

CORAÇÃO PIRATA

Meu coração irá navegar
por mares desconhecidos.
Coração pirata,
desbravador de aventuras,
timoneiro leviano,
movido a emoções.
Navegará sem rumo,
sem bússola
sem barco que o navegue
sonhar é apenas o seu leme,
sua fé cega.
por isso singra os mares revoltos
sujeito a calmarias e tormentas.
mas o meu coração tem coragem
de cavaleiro andante,
coração bravio,
eterno navegador
de mares perdidos.

domingo, 19 de abril de 2009

OLHO NU

observo o seu corpo
a olho nu,
quero devorá-lo.
Canibalismo erótico
explodindo entre os poros,
é irracional a minha libido,
pois que seja irracional,
sem pudores.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

APENAS

Caso não queira dizerseu nome. não diga.
Caso não queira dizer de onde veion não diga.
Caso não queira falar de você, não fale.
Ama-me apenas esta noite,
e isto me basta.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

PROCURA

PROCURA
Andei procurando por mim
e não encontrei.
Procurei por toda a casa,
vasculhei as gavetas
e não encontrei.
E como dentro de casa eu não estava,
pus anúncio no jornal,
fiz novena, consultei os orixás
fiz mapa astral
fiz regressão
e nem assim fui encontrado.
Mas não desisto,
insisto
persisto em procurar
mesmo que escondido
entre as galáxias.

RESPOSTA

RESPOSTA
Dizem po aí que sou louco
que vivo sempre no mundo da lua
e que só falta jogar pedra em avião.
Pacincia,
não tenho culpa se as pessoas julgam pela aparência
aliás não deviam julgar nunca,
todos têm telhado de vidro.
Posso ser tudo isto:
não voto em corrupto,
pago minhas contas
sou dono do meu nariz
não sou maria vai com com as outras,
tenho opinião própria
sou capaz de indignar diante das injustiças,
não sou indiferente.
sou espontâneo
não hajo conforme as convenções,
danço sozinho,
gesticulo sozinho.
Amo poesia, amo literatura
amo cinema
amo amar quem me ama
amo os livros,
as noites enluaradas,
as notas dissonantes da bossa nova,
a multiplicidade da MPB,
os quatro cabeludos de Liverpool
a diversidade cultural do nosso imenso Brasil.
Amo os rios em especial o Santo Antonio
amo as cachoeiras
as nossas matas e espécies ali existente,
mas cidadão do mundo
sem preconceito de raça
acredito sobretudo
na auto determinação dos povos.
Amo uma prosa inteligente
também uma conversa fiada,
tenho o espírito do palhaço.
Amo o nascer eo por do sol,
a minha condição sexual,
a minha humanidade.
Enfim sou múltiplo,
diverso
que deve ser visto
além das aparências.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

OS RATOS

OS RATOS
Os ratos estão por aí
se articulando na surdina
para roer queijos
na despensa alheia.
Ratos do subúrbio se une a ratos
da zona sul
ratos da sul se une a ratos do subúrbio.
E não gatos que possam detê-los,
porque escapam pelas frestas
dos anais subterrâneos.

O BOM SEMEADOR

BOM SEMEADOR
Era uma vez um semeador
que saiu a semear poesias
semeou em um terreno
e não nasceu,
porque era cheio de espinhos,
semeou em outro terreno,
e não nasceu
porque era cheio de pedras.
Porém o poeta não desistiu
de semear,
até que encontrou um terreno fértil:
arou, adubou e regou
e vem colhendo bons frutos,
apesar das intempéries do tempo.
Mas um bom semeador não se curva às tempestades,
porque ele sabe que depois dela,
haverá versos semeados
paraíso afora.

PÉS DE BARRO

PÉS DE BARRO
Os semi-deuses de Wall Street
disseram e fizeram acreditar
que são infalíveis,
e que Wall Street é o centro do universo
e que todos deveriam se curvar.
Mas como todo mito tem
oseu pé de barro,
Wall Street deveria se chamar
a rua das ilusões perdidas.

RECADO

RECADO
Não se esconda de você
dizendo aos outros o que não é.
Viver é assumir,
é dar a cara a tapa.
Sei que o preço a pagar é alto,
mas não há recompensa maior
do que ser verdadeiro

FARSANTES

FARSANTES
Eles estão nas praças públicas
e em qualquer lugar
a disseminar suas meias verdades,
suas mentiras carcomidas,
rotas, inverossímeis,
que para os incautos parecem
verdades.
Quem poderá detê-los?
Aves de rapina,
camaleões.

CONTINHO

CONTINHO
Ele chega altas horas da noite
bate sorrateiramente na minha porta.
Ele está ofegante e tem pressa
em satisfazer seus desejos de macho.
Abro a porta, ele não diz nada,
também não digo nada,
entrego a seus caprichos,
e por alguns momentos
penso que estou no paraíso.
Fazemos amor? Sei lá!
Não importa.
Depois de saciado os seus desejos
ele vai embora,comoo chegou.
Também não digo nada,
estamos plenos em nosso silêncio.
Mas sei que ele volta um dia,
estou a esperá-lo.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

INVASÃO DE PRIVACIDADE

INVASÃO DE PRIVACIDADE
Sorria você está sendo filmado,
alerta o grande irmão.
Ele está de olho em você,
ele vela por ti,
onipresente,
te segue pelas ruas
esquinas e avenidas.
O grande irmão decreta:
de hoje em diante
serei o seu intruso inseparável.

POEMA PARA IZABEL

POEMA PARA IZABEL
Isabel como outros milhares de brasileiros
não nasceram em berço de ouro
não são filhos da burguesia,
são trabalhadores rurais
como tantos brasileiros
espalhados nos campos,
periferias e favelas do Brasil.
Isabel como milhares de brasileiros
não moram na casa-grande,
nem na zona sul.
Não comem caviar,
nem vão desbundar em Paris.
Isabel é trabalhadora rural
e passa fome
como milhares de brasileiros.
Isabel como os outros milhares de brasileiros
não fazem parte da mídia fútil e preconceituosa,
quando aparecem são chamados de vândalos,
marginais e ladrões.
Mas Isabelcomo outros milhares de brasileiros
tomou consciência da sua condição:
uniu-se outros brasileiros
que ousaram enfrentar impérios forasteiros.
Mas Isabel e tantos outros brasileiros são tombados no caminho,
doam suas vidas,em favor da vida.
Não conheço e nem outros brasileiros,
mas sinto na pele suas dores,
sou solidário ás suas lutas.
Não sou trabalhador rural,
sou trabalhador da palavra
e é através dela que disparo minha indignação.
E se for pouco meus companheiros, me perdoem.

AMIGOS

AMIGOS
Se pudesse prenderia meus amigos
dentro de uma redoma,
porque amigos nunca podem estar longe,
amigos têm que ser onipresentes,
estar perto de nós,
a toda hora, todo dia.
Mas amigos voam
e como amamos deixamos que voem.
Vão embora, ficam longe
vão navegaroutros mares,
outras paragens,
mas sei também que eles voltam,
mesmo que seja breve a volta
será eterno o abraço.

MANIFESTO

MANIFESTO
Há pessoas que dizem anos a fio,
as mais deslavadas mentiras.
E como são mestres em mentir,
Que as mentiras
se tornam verdades absolutas.

CAOS NOSSO DE CADA DIA

CAOS NOSSO DE CADA DIA
Balas cruzando os ares.
Corpos estendidos no chão.
Lamento de viúva e órfãos nos funerais.
E os jornais nos inundam de tragédia e sangue.
Nos gabinetes opiniões e teorias
desncontradas:
vagas, inúteis.
E nós sobre o fogo cruzado,
a chamar pelo super-heróis.
Mas os super-heróis
só existem nas histórias em quadrinho

LÁ VEM BARATA

LÁ VEM BARATA
Menino que faz pirraça
escute bater na lata:
lá vem barata.
Menino que faz pirraça,
escute já vem chegando,
vem vindo por debaixo do chão.
Mas se o menino para de fazer pirraça;
barata vem não.

ORGASMOS FELINOS

ORGASMOS FFELINOS
Os felinos fazem escandalosamente amor
sobre o telhado.
Como são vorazes os orgasmos felinos

AVES DE RAPINA

AVES DE RAPINA
Aves de rapina
rapinou minha vísceras.
Pisou em cima.
Comeu com voracidade.
e depois de saciada
arrotou.

ON LINE

ON LINE
Tudo anda muito virtual,
veloz
instantãneo
descartável.
Já não olhamos face a face
e nem temos tempo para aquele dedo de prosa
aquele abraço amigo.
Somos máquinas, robôs
programados para os segundos
minutos e horas.
Alguns dizem que é a modernidade.

COTIDIANO

COTIDIANO
A miseria bate á porta
esfarrapada
desdentada
esquelética.
A miséria bate á porta,
escancarada
exposta
visceral.
A miséria não desiste
insiste
persiste
em bater na porta dos surdos-mudos.

OLLHAR NOTURNO

OLHAR NOTURNO
Debaixo de mim a cidade dorme,
adormece as suas picuinhas
as sua misérias.
Os vira-latas quebram o silêncio.Talvez solitários.
Talvez no cio.
Em algum lugar escuro os amantes roçam os
seus corpos libidinosos.
Abro a janela.Garoa.Garoa fina e cortante.
É meia noite? Uma hora?
Sei lá!
Talvez os meus fantasmas respondessem.
Adoráveis fantasmas!
Companheiros inseparáveis.

sábado, 7 de fevereiro de 2009

CRISTIANE

CRISTIANE
Sobre o seu divã eu despi a minha almae
Revelei os meus segredos
como quem abre um baú cheio de coisas velhas.
Quiz aconchego como criança que foge do escuro
Falei das minhas dúvidas, das minhas incertezas.
Falei das minhas virtudes e dos meus vícios
Revelei as minhas verdades as minhas crenças.
Sou pretencioso, contraditório?
Sei lá!
Sobre o seu divã eu abri as minhas páginas
livro fechado trancado a sete chaves.
e

IMITAÇÃO

IMITAÇÃO
Quando nasci minha mãe disse:
Vai filho pelejar na vida.Fui.

RECADO

RECADO
Não me venha com suas teses,
teorias e rezas.
E nem me venha com seus projetos de cura.
Por acaso somos doentes, anormais?
O problema não somos nós.
Oproblema existe a na cabeça de vocês.