terça-feira, 30 de junho de 2009

ESTUPIDEZ

Os homens, esses estúpidos
se matam por coisas fúteis,
E depois exibem os seus punhais
sujos de sangue,
como troféu.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

HOMOFOBIA

Ouvi uns que gritavam nomes feios.
Vi outros armados de pau,
senti o cheiro dos que foram queimados.
Vi os corpos dos que dos que foram enforcados,
e jogados em valas comuns.
Vi serem negados direitos elementares.
Ouvi a maldição dos crédulos,
que entoavam as suas iras nos altares.
Vii os homens que marcharam
pela moral e bons costumes.
Vi os joranais,
vi as TVS,
ouvi os rádios
propagando as suas idéias.
Vi o cerco fechado,
vi o beco sem saída,
e quando percebi que não haveria
escapatória,
ouvi que alguns gritavam:
Chega!
E declararam: de hoje em diante ningúem
será punido
por amar da forma que lhe convier.
E VIVA O AMOR!



MIISTÉRIOS

Nas noites os desejoa são aflorados
sobretudo em noites de lua cheia.
Será que as noites são mágicas?
Quais são os seus mistérios?
Ou não existem mistérioos?
Ou são apaenas arroubos das paixões humanas?
Ou são apenas devaneios dos poetas/

quarta-feira, 24 de junho de 2009

LOUCOS

Ah! essses loucos poetas,
lunáticos,
que vivem anos a fio
a incorporar as dores do mundo,
e acreditam que são suas,
e que podem curá-las
fazendo verrsos,
e quando desscobrem que
são inúuteis os seus versos,
compõem seus epitáfios
com os dizeres:
aqui jazem os loucos
que queriam mudar o mundo,
fazendo versos.
E depois se matam de
maneiras diversas.
fazendo versos

SENTIDOS

Beber sua saliva,
cheirar o seu hálito,
sentir o seu cheiro.
Sentir o seu sexo
latente
e cheio de volúpia,
pronto para a cópula.

IMITAÇÃO 2

Quando nasci minha mãe disse:
vai filho ser poeta na vida.
Cá estou.