segunda-feira, 26 de abril de 2010

ROTINA

Bebo café
como pão,
cuspo minha saliva,
vou ao banheiro e jogo
as minhas merdas fora.
Nada a fazer
a não ser ver o tempo
passar,
calmo,
tranquilo,
tedioso,
sennhor tempo,
dono de nós.

FLORES SURREAIS

As flores
devorararam as minhas vísceras
arrancaram as minhas c[orneas,
e flores hematófogas
sugaram o meu sangue.
Flores carnívoras
fatiaram-me em nacos,
roeram minha carcaça
deixando-a em destroços,
vilipendiaram meu cadáver
e depois desabrocharam funestas,
líricas,
prontas paara o genocídio
de outras presas.