terça-feira, 30 de novembro de 2010

JANELAS PARA O CÉU

Eu poderia fazer um poema,
poderia fazer amor
mas hoje eu só quero
abrir janelas para o céu.
Eu poderia fazer uma música
cantar uma canção,
mas hoje eu só quero
abrir janelas para o céu.
Eu poderia plantar uma árvore,
regar o jardim,
mas hoje eu só quero
abrir janelas para o céu.
Eu poderia andar na chuva,
tomar banho de cachoeira,
mas hoje eu só quero abrir
janelas para o céu.
Eu poderia andar de avião,
de automóvel,
mas hoje eu só quero abrir
janelas para o céu.
Eu poderia dançar,
rock, balé ou samba,
mas hoje eu só quero abrir
janelas para o céu.u
Eu poderia ouvir música clássica,
jazz ou MPB,
mas hoje eu só quero
abrir janelas para o céu
Eu poderia fazer bolhas de sabão,
cantar cantigas de roda,
mas hoje eu só quero abrir
janelas para o céu.
Eu poderia ler um livro,
ver televisão,
mas hoje eu só quero
abrir janelas para o céu.
Eu poderia ler a sua mão,
fazer uma mágica,
mas hoje eu só quero
abrir janelas para o céu.
Eu poderia olhar as estrelas,
andar pela noite,
mas hoje eu só quero abrir
janelas para o céu.
Eu poderia ir ao cinema,
ver obras de arte
mas hoje eu só quero abrir
janelas para o céu.
Eu poderia fazer uma viagem,
fazer um filho,
mas hoje eu quero abrir
janelas para o céu.
Eu poderia colher flores no campo,
olhar as borboletas,
mas hoje eu só quero abrir
janelas para o céu
Eu poderia pintar uma aquarela,
desnhar o arco-íres
mas hoje eu só quero abrir
janelas para o céu.

ALDEIA GLOBAL

Clique e tenha o mundo a
seus pés.
O mundo está logo ali,
diante dos seus olhos;
o que era inatingível
está diante de ti,
virtual;
a sua aldeia antes
encravadas nos rincões
agora navega
pela rede
em ondas globais

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

VOLTA

Poesia, porque foste embora?
Fugiste de mim por quê?
Há dias que eu te procuro,
em vão,
passo noites e dias a buscar por ti,
porém não vieste.
por acaso posso viver sem ti?
Por favor apareça.

COLHEITA

Semeei flores ao vento
e o céu ficou repleto
de flores,
que se transformaram
em nuvens coloridas.
Se plantei,
colhi tempestades de flores
que inundaram o mundo,
e o mundo ficou repleto de flores,
inundando nossas vidas.

PROMESSA

Todo final do ano,
prometo no próximo ano
fazer
milhares de coisas,
que acabo não cumprindo.
Então decidi não prometer nada.
Deixa acontecer.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

DUELO

De tanto ser acordado pelas baratas
em plena madrugada
resolvi declarar guerra,
a essas intrusas.
E resolvi exter,iná-las
usando vassoura piaçava.
Depois de longos embates,
chegueiá conclusão:
ou eu acabo com as baratas
ou as baratas acabam comigo.