sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

MAE

MÃE

Minha mãe não é bela, não é recatada e nem é do lar,
minha mãe traz no seu corpo as marcas indeléveis das lutas diárias,
tem no rosto as cicatrizes deixada pelos torturadores,

traz no coração a dor de ver o seu filho chorando de fome,
tem a voz embargada de tanto gritar contra as injustiças,
tem a convicção e crê num mundo melhor,
a obstinação de quem não desiste nunca,
crê que a vitória não é mera utopia,
e que ela é forjada com muito suor,
todos os dias e sempre.


quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

CONVITE

CONVITE

Há um barco no cais
esperando para partir.
E em mim dois desejos:
um de ficar 
e outro de partir.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017


OUTRO POEMA QUE VIROU UM CONTINHO


Entre, não arrepare na desordem, o tempo anda escasso e ainda sou desorganizado. Se acomode, a casa é simples, mas o recebo de coração.
-Onde tem andado? Poderia ter dado notícias, mandado carta, telefonado, enviado um e-mail.O bom é que você veio, estou feliz pó isto. Me dê um abraço, vamos celebrar o nosso encontro, bebendo uma taça de vinho e brindar ao deus  Baco, provando que a vida é bela apesar de tudo.


domingo, 8 de janeiro de 2017

MORMAÇO DE TARDE

MORMAÇO DE TARDE
Éguas no cio,
garanhões enlouquecidos,
orgasmos incandescentes
explodindo feito vulcões

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

A MORTE DA CIDINHA



A MORTE DA CIDINHA

Cidinha foi encontrada morta logo de madrugada, na  escada que dava acesso a um cortiço de moradores braçais. Foi crime? Morte súbita? Preta, pobre , puta, além de aviãozinho do tráfico, quem se interessaria?



domingo, 1 de janeiro de 2017

ATÉ QUE O CIÚME NOS SEPARE




ATÉ  QUE O CIÚME NOS SEPARE


Quando o Cravo e a Rosa se encontraram foi paixão à primeira vista que terminou em casamento, celebrado por todas as outras flores do jardim.
Tempo passou, a paixão foi se acabando, veio o primeiro ciúme, as primeiras brigas,  Rosa  desconfiava que o Cravo se enamorava da  bela Margarida, que dias depois  Rosa confirmou ser verdade, foi uma briga que deixou o Cravo ferido, arranhado pelos espinhos da Rosa que ficou   despedaçada de tanta dor.