sexta-feira, 31 de março de 2017

TRANS


TRANS

Quando olhar para mim
e pensar que sou, não sou,
sou duplo querendo ser uno,
dissonância entre corpo e desejo,
masculino e feminino
em plena diáspora.



quinta-feira, 23 de março de 2017

SENHOR CAPITALISMO
Senhor Capitalismo, veja a fila enorme que há nos quarteirões, Senhor Capitalismo!
Sei que o Senhor é desprovido de compaixão e que é vã esse meu apelo.
E nem sequer vai ceder um pouco, porque o seu egoísmo é atroz. 
Como é doloroso não ter como levar comida para os seus filhos, Senhor Capitalismo,
mas como a sua mesa está farta, o que importa isso!
Mas como é doloroso não ter onde morar com os filhos, mas o que importa isso, Senhor Capitalismo,
mora-se em suntuosa residência!
Como é doloroso não ter assistência médica, Senhor Capitalismo,
Mas o que importa isso, Senhor Capitalismo,
Dispõe-se dos mais renomados médicos!
Como é doloroso, não ter educação, para os filhos, Senhor Capitalismo,
se os seus estudam nas mais conceituadas escolas!
Como é doloroso não  ter terra para plantar Senhor Capitalismo
mas o que importa isso, Senhor Capitalismo,
se é vasto o seu latifúndio!!
Mas o pior é não ter direito à esperança, Senhor Capitalismo,
mas o que isso importa, não é mesmo?
Se para o Senhor as possibilidades são várias!!
Mas pelo menos me permita dizer uma coisa Senhor Capitalismo, o Senhor é um monstro!!

domingo, 19 de março de 2017

TRANSBORDAMENTO

Quero que chova em mim
filetes de metáforas.
E que transborde em mim
rios de versos.





sexta-feira, 17 de março de 2017

LETREIROS DE NEON



                LETREIROS DE NEON
Os letreiros de neon embaralham meus olhos,
ando  cidade  afora, feito zumbi.
Há tantos desejos em mim nessa noite,
eu quero todos.
Os automóveis passam apressados,
os seus  faróis parecem fragmentos de discos voadores.
A! quem me dera se existissem discos voadores
e abduzisse todos os meu desejos,
mas discos voadores não existem!
Sigo cidade afora levado pelos desejos,
e em cada esquina quero consumá-los,
mas em cada uma delas só encontro,
letreiros de neon em apelos comerciais.



quarta-feira, 15 de março de 2017

O PRIMEIRO PRESENTE




O PRIMEIRO PRESENTE
É difícil descrever a emoção que ele teve ao ganhar pela primeira vez um presente, simples, mas significativo para quem é pobre, um chapéu de palha com listras na vertical, ganhara da sua irmã para participar da quadrilha da escola, e dançou aquela quadrilha com extremo entusiasmo. Não o tirava para nada, tanto é que o colocou ao seu lado na cama, e quando dormiu sonhou estar em um jardim cheio de borboletas revoando sobre o seu chapéu e que veio um vento e o levou. Acordou assustado procurando o seu chapéu o qual estava todo amassado, dormiu e deitou sobre ele, de fato foi-se embora o encanto, como prenunciou o sonho.

sábado, 11 de março de 2017

TECENDO SONHOS



TECENDO SONHOS



É preciso entregar a costura, então   a costureira põe a chulear, contorna e contorna, fazendo zigue-zague, desenho mágico, a moça espera com aflição e deseja estar mais bonita para o namorado. E depois de feito o contorno do vestido, hora de fazer a bainha, depois os botões, casa a casa, a costureira alinhava os sonhos. Então terminada a costura, entrega feita mediante pagamento justo, a costureira espera que a sua arte brilhe no corpo da moça enamorada.



Girvany 11/03/2107

TECENDO SONHOS

É  preciso entregar a costura
então a costureira põe a chulear,
contorna e contorna, fazendo zigue -zague,
desenho mágico,
a moça espera com aflição e deseja estar mais bonita
para o namorado.
E depois de feito o contorno do vestido, hora de fazer a bainha,
depois os botões, casa por casa,
a costureira alinhava os sonhos.
Então terminada a costura, entrega feita mediante ganho justo,
a costureira espera que a sua arte brilhe no corpo
da moça enamorada.


terça-feira, 7 de março de 2017

TRISTE POETA



TRISTE POETA
A tempos não conseguia fazer uma poesia, logo a poesia que era a razão única da sua miserável existência! Desafogava o seu infortúnio nos botequins, o que resultou em um  cirrose hepática. Triste poeta morreu e nem sequer uma nota no jornal, pouca gente e alguns familiares. Desceu à sepultura numa tarde nublada, como são as almas dos poetas.